Home / Educação  / Orientação da Psicopedagoga – Birra: Os pais podem com ela? Por Ada Carvalho

Orientação da Psicopedagoga – Birra: Os pais podem com ela? Por Ada Carvalho

Pais e mães entenderão melhor como lidar com as birras dos filhos se colocarem em prática algumas orientações simples

Você não quer comprar doce no supermercado? Seu filho abre o berreiro. O amigo não quer emprestar o brinquedo? Ele chora e tenta bater no colega. Já está na hora de parar de brincar? Ele se joga no chão e esperneia. A birra e as explosões de raiva como essas são comuns entre as crianças pequenas, especialmente entre 1 e 3 anos, podendo se estender até os 6 em alguns casos. As crianças dessa idade, quando se vêem diante de situações de frustração se expressam dessa forma porque ainda não sabem como controlar seus sentimentos e como expressar que não gostam de algo. Mas é papel dos pais ajudá-las a conter essas reações e ensiná-las a aceitar quando alguém lhe diz não.

 Como os pais devem lidar quando a criança tem um ataque de birra?

Em primeiro lugar, devem dar o exemplo, ou seja, devem mostrar que estão controlados. O mais produtivo é que os pais mantenham a calma. E tentem descobrir o que está acontecendo com a criança, qual o motivo da insatisfação. Mas também é preciso ter em mente que nem sempre será possível estabelecer com a criança uma conversa nessa hora.

“Deixe-a fazer a birra, não fale muito (ela não vai ouvir mesmo), espere passar, proteja-a para que não se machuque e quando ela estiver mais calma, aí sim, converse. Como parte da birra envolve chamar atenção, quando a criança ficar birrenta evite que todo mundo fique dando atenção (lembre-se que atenção de pai e mãe vale ouro pra criança). Leve-a para um local reservado, monitorando-a. Não a deixe sozinha sem supervisão de um adulto.

Depois que a criança estiver calma, converse com ela, Mas não faça um longo sermão. Crianças pequenas não prestam atenção a conversas longas e cheias de argumentos. Os pais devem falar com calma, usando poucas palavras. Não adianta falar muito, porque o conteúdo da conversa não vai ser compreendido. O fundamental, é explicar a criança o que ela sentiu durante o descontrole emocional, nomear o sentimento e dizer como ela deve lidar com ele. Algumas crianças vão querer colo depois da explosão, para se acalmar. Outras não vão querer ser tocadas. É preciso respeitar.

Se o ataque de birra acontecer em público como os pais devem agir?

Com muita calma e autocontrole. E sem ceder ao que foi negado ao filho. Os pais, normalmente envergonhados, querem fazer a criança parar e acabam cedendo à pressão dos filhos. Relaxe: todo mundo que tem filho já viu isso antes e quem não viu, se for pai um dia verá. Importante também é não deixar a criança sozinha e tentar levá-la para um local mais reservado, se for possível, o ideal e parar esperar que ela se acalme. Cada situação em particular requer uma abordagem, mas sempre com a mesma regra para os pais: não dar atenção à birra, nem retroceder. Já deu o não?  Mantenha-se firme.

Psicopedagoga Ada Carvalho
Avenida: Biu de Deda, 531 – 1º Andar

(Conhecida como Rua dos Pacas)
Santa Cruz do Capibaribe-PE
Fone/WhatsApp – (81) 99681-5201

2 Comentários
  • Francisca 22 de Fevereiro de 2017

    Muito boa as dicas que a Psicopedagoga indicou.

  • Juliana Barros 22 de Fevereiro de 2017

    Excelente matéria! Vindo da profissional Ada Carvalho, não poderia ser diferente. São algumas orientações simples como estas, que podem nos ajudar na criação dos nossos filhos e que muitas vezes não temos o discernimento de como agir.

Comentário do Post